Tendinite Calcária: Como identificar e tratar

Mais comum em mulheres a partir dos 40 anos, que apresentam alguma patologia hormonal e/ou usam medicações de ação central (antidepressivos, ansiolíticos,..), a tendinite calcária é uma inflamação causada pela presença de uma calcificação no interior do tendão.

Ela pode afetar qualquer tendão do corpo, mas é mais comum nos tendões do manguito rotador (ombro). Pode afetar também homens e outras faixas de idade.

A diferença para uma tendinite normal, é que na calcária surgem pequenos cristais de cálcio no tendão. Essa calcificação pode sumir sozinha ou necessitar de tratamento para sua retirada.

A dor costuma ser de início agudo e de grande intensidade. Podendo prejudicar consideravelmente a noite de sono da pessoa, pois ela piora os sintomas no período noturno..

As atividades do dia a dia também são prejudicadas, principalmente quando é necessário  movimentos que elevam o braço acima do nível do ombro.

Mas, não desespere caso esse seja o seu diagnóstico, porque a Tendinite Calcária tem cura. Vamos ver nesse artigo as principais causas e tratamentos para esse tipo de inflamação.

Causas e Diagnóstico

Apesar de ainda não ser conhecida nenhuma causa comprovada para esse depósito de cálcio no tendão, algumas teorias surgiram tentando explicar esse fenômeno, como o desgaste por uso repetitivo da articulação e o envelhecimento natural, quando ocorrem pequenas fissuras que acabam se calcificando por insucesso das tentativas do organismo de cicatrização. Mas a causa mais aceita é a forma idiopática, ou seja, sem causa específica.

A única forma de identificar uma calcificação no tendão é através de exames de imagem.

Geralmente em uma radiografia pode-se observar uma pequena área esbranquiçada no local, mesmo que não apareça o tendão nesse tipo de exame. Uma ultrassonografia ou ressonância podem ser solicitadas pelo ortopedista para uma melhor avaliação ou para descartar outras doenças.

Estágios da Tendinite Calcária e sintomas

O depósito de cálcio no tendão, geralmente é lento e dura meses. Esse processo pode gerar uma dor fraca, como de uma tendinite leve.

Mas subitamente, como foi dito anteriormente, pode ocorrer dor forte no local da inflamação.

Primeiramente, o cálcio é formado e depositado no tendão.

Enquanto os depósitos de cálcio estão isolados, o paciente apresenta sintomas leves que podem ser confundidos com uma tendinite comum, ou até não apresentar sintoma algum.

Em um segundo momento, o cálcio depositado e isolado, é reconhecido pelo organismo como um corpo estranho. Esse fenômeno repentino não tem razão conhecida e cria uma reação inflamatória intensa reabsorvendo o cálcio do tendão.

Esse estágio, geralmente é acompanhado de dor intensa.

Outras sintomas também podem ocorrer, como rigidez, endurecimento ou fraqueza na articulação acometida.

comparação de barbotagem e astroscopia em caso de tendinite calcária

Tipos de Tratamentos

Cada caso precisa ser avaliado de forma personalizada de acordo com os sintomas e a fase de calcificação. No estágio mais doloroso, de reabsorção, existem algumas opções de tratamentos como:

* Analgésicos e anti-inflamatórios: são medicamentos que devem ser usados de forma responsável, sempre com prescrição médica.

* Infiltrações no ombro: são injeções com anestésicos, medicações analgésicas/anti inflamatórias  para o alívio imediato da dor.

* Barbotagem: é um procedimento que consiste na introdução de uma agulha até a calcificação, para aspiração do conteúdo ou estimular a absorção do corpo. Podendo ser realizada hoje em dia em ambiente ambulatorial guiada por ultrassom.

Durante a fase aguda, ou de reabsorção, a calcificação se torna pastosa tornando-a possível de ser aspirada.

* Cirurgia: em alguns casos, quando outros tipos de tratamento não surtiram efeito, não houve reabsorção dos depósitos de cálcio pelo organismo e os sintomas continuam presentes com intensidade, o tratamento cirúrgico pode ser necessário.

O principal procedimento é a artroscopia. Pequenas incisões são feitas e uma câmera é introduzida. A intenção é aspirar a calcificação que encontra-se no meio das fibras do tendão.

Pistola para o tratamento por ondas de choque  que serve para tendinite calcária

Tratamento alternativo

Quando falamos em problemas ortopédicos e diversidade de organismos, sempre notamos que uma porcentagem dos casos não obtém melhora com tratamentos tradicionais. Como a combinação de medicamentos e fisioterapia, por exemplo.

Quanto a cirurgia, sempre precisamos considerar os riscos e o tempo de recuperação para cada pessoa.

Por isso, outras alternativas podem gerar resultados melhores que as formas de tratamentos tradicionais. E sem submeter o paciente a procedimentos invasivos.

O tratamento por ondas de choque é uma opção que tem ajudado muitas pessoas a ter um alívio considerável das dores.

Além de não ser invasivo, é uma forma mais barata de tratar pacientes com problemas como a Tendinite Calcária.

Ele vai agir de duas maneiras, rompendo a calcificação, facilitando assim a absorção pelo organismo e também tratando a inflamação.

Não confunda com o “TENS”, aquele aparelho que dá “choquinhos” no local da dor. O tratamento por ondas de choque na ortopedia, não funciona com choques elétricos, mas sim com ondas de impacto.

E a boa notícia é que esse tipo de tratamento pode ser aplicado para diversos tipos de lesões e em várias áreas do corpo.

Se você foi diagnosticado com tendinite calcária, comum ou qualquer outro tipo de inflamação, entre em contato e solicite um atendimento com um ortopedista especialista em tratamentos por ondas de choque.

Botão de contato

Dor na Articulação do Ombro: As 5 principais causas e como tratar

Temos que ser justos em uma coisa. A dor na articulação do ombro é democrática. Ela não escolhe gênero nem idade. Talvez, depois da dor na coluna, a dor no ombro seja a queixa mais comum ouvida pelos ortopedistas.

Tanto os sedentários, quanto os esportistas, estão sujeitos a esse mal. Dores no ombro são especialmente desagradáveis, porque limitam muito o dia a dia da pessoa, dificultando a execução de tarefas simples e, muitas vezes, prejudicando noites de sono.

Por ser a articulação mais móvel do corpo, o ombro está muito suscetível a lesões. Mas, nem sempre o excesso de movimentação é a causa das dores.

Outro detalhe, é que em alguns casos, a dor no ombro não significa que o problema é nessa região. A causa pode estar em outra área, como na coluna cervical por exemplo.

É exatamente isso que vamos ver nesse artigo. Vou mostrar as principais causas de dor na articulação do ombro e como tratar:

Profissional aplicando Fisioterapia para articulação do ombro

1 – Tendinite, Bursite e Síndrome do Manguito Rotador

Essas doenças são as mais comuns que afetam o ombro. Movimentos de elevação, principalmente acima de 90 graus, executados por longos períodos, por exemplo, podem comprimir os tendões.

Essa compressão pode inflamar justamente os tendões ou a bursa, que consiste em uma pequena bolsa cheia de líquido sinovial, servindo como uma espécie de “almofada” para proteger a articulação.

Tanto a Tendinite crônica, quanto a Bursite, podem ser causadas por movimentação excessiva, traumas na região ou envelhecimento do organismo.

A inflamação pode afetar os tendões mais profundos do ombro, causando a síndrome do manguito Rotador, conhecida também como Síndrome do Impacto.

O manguito é formado por 4 músculos profundos que atuam em conjunto para movimentar e dar estabilidade ao ombro. São eles: Supra espinhal, Infra espinhal, Redondo Menor e Subescapular.

Essa síndrome ocorre quando há uma lesão nas estruturas que ajudam a estabilizar esta região. Além de dor no ombro, pode causar dificuldade ou fraqueza para levantar o braço.

Como tratar: mais indicado para essas patologias, a princípio é o repouso e medicamentos como analgésicos e anti-inflamatórios.

Dependendo da evolução do problema, em alguns casos pode ser necessário tratamentos manuais como fisioterapia, minimamente invasivos, como tratamento por ondas de choque, infiltrações, ou até mesmo cirurgia nos casos de Impacto entre os Tendões e o Acrômio, onde há necessidade de uma “raspagem” cirúrgica chamada de acromioplastia.

2 – Capsulite

Outra causa conhecida de dor na articulação do ombro, é a Capsulite adesiva, conhecida também por ombro congelado. Consiste em uma inflamação da cápsula articular que dificulta o movimento do braço, principalmente os de rotação interna e externa, por conta de uma rigidez na articulação do ombro.

A capsulite adesiva costuma atingir a pessoa entre a 4ª e 6ª década de vida. Com incidência maior sobre o ombro não dominante.  Podendo atingir os dois ombros em alguns casos.

Essa patologia não possui uma causa conhecida determinante. Mas nota-se algumas situações peculiares nos pacientes que possuem essa inflamação, como: traumas ou causas sistêmicas como a diabetes, doenças de tireoide, entre outras…

Como tratar: é recomendado para essa patologia, sessões de fisioterapia para analgesia e liberação da articulação através da mobilização articular gradual do ombro e relaxamento dos músculos da articulação. Bloqueios anestésicos guiados por ultrassom podem ser realizados e nos casos mais graves, pode ser necessária uma cirurgia para distensão da cápsula.

3 – Artrose

Embora mais comum em idosos, esse problema também pode atingir jovens adultos, principalmente atletas que utilizam a articulação do ombro em excesso. A artrose causa dor no ombro e nos casos mais avançados pode promover uma restrição de movimento da articulação.

Esses sintomas podem piorar com o passar do tempo. As causas mais comuns, são a sobrecarga, consolidação inadequada de um fratura do ombro e patologias reumatológicas.

Como tratar: geralmente o tratamento consiste em fisioterapia para analgesia e fortalecimento/equilíbrio musculotendíneo,  medicamentos analgésicos e condroprotetores para aliviar as dores. E nos casos mais evoluídos a cirurgia para colocação de uma prótese de ombro está indicada.

4-  Fraturas ou Luxações

Quase sempre as fraturas e as luxações são fáceis de se identificar, por conta da dor forte, inchaço e hematomas na pele e limitação funcional. Mas, alguma fraturas quando pequenas, provocam uma dor de baixa intensidade, sutil, que aumenta ao longo do tempo e podem impedir a movimentação do braço.

Como tratar: é preciso direcionar-se imediatamente para um hospital ou clínica, para identificar o local da fratura ou luxação e fazer a redução que é o ato de colocar a articulação no lugar e imobilizar de forma correta o braço. Para posterior indicação do melhor tratamento definitivo.

5- Tenossinovite

Essa é uma inflamação aguda da membrana que recobre o tendão. Diferente da Tendinite, onde a inflamação é no próprio tendão Essa patologia gera limitação dos movimentos, inchaço, dor e vermelhidão.

Como tratar: o mais indicado nesses casos é fisioterapia, medicações analgésicas e anti-inflamatórias e, em alguns casos, imobilização.

Jovem fazendo fortalecimento da articulação do ombro

Outras causas de dor na articulação do ombro

Vimos alguns dos problemas mais comuns que causam dores na articulação do ombro. Mas, é importante salientar que, muitas vezes, a dor no ombro é decorrente de problemas de áreas próximas, como o cotovelo e a coluna cervical.

Vale dizer também que, nem sempre dores em articulações se tratam de problemas de ordem estrutural.  

As dores no ombro podem significar deficiências em outras áreas do corpo. E ser um sinal de mal funcionamento de órgãos como coração e fígado.

Por isso, é importante procurar um médico especialista para que a origem da dor seja identificada. E o tratamento ideal aplicado.

Se você sofre com algum tipo de dor recorrente no ombro, saiba que você pode se livrar dela e voltar a ter uma vida plena, sem limitações.

Clique no botão abaixo e solicite uma avaliação comigo